segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Tireóide: cuide bem da tua!



Foto: divulgação
Matéria Divulgação
Em entrevista, a atriz Monique Alfradique, 29 anos, que atualmente pode ser vista na novela global “A Regra do Jogo”, revelou ter descoberto que sofria de hipotireoidismo. Com o diagnóstico, ela disse que passou a frequentar nutricionista e faz o controle da doença com a ingestão diária de comprimidos.
O caso de Monique serve para ilustrar que o correto tratamento pode fazer com que a pessoa com hipotireoidismo leve uma vida normal. “É claro que cada diagnóstico necessita de um tratamento adequado, que quanto antes for iniciado, melhor e mais rápido o organismo do paciente irá reagir, isto é, a qualidade de vida da pessoa com hipotireoidismo irá aumentar”, afirma Jorge Kim, especialista em Cirurgia de Cabeça e Pescoço e em Doenças da Tireoide e Paratireoide, da Alira Medicina Clínica e Cirúrgica.
O termo “qualidade de vida” é aplicado pois, como a tireoide atua no crescimento e desenvolvimento do ser humano, o mau funcionamento pode provocar uma verdadeira “bagunça” no corpo. Entre os principais sintomas de que a pessoa possa estar sofrendo de hipotireoidismo estão: cansaço excessivo; sonolência; perda de memória; dores musculares e nas articulações; aumento dos níveis de colesterol no sangue; ressecamento da pele e unhas; queda de cabelo; prisão de ventre e até depressão. Em crianças, inclusive, o crescimento pode ficar comprometido.
“Isto ocorre porque – com a falta de hormônios, em decorrência do mau funcionamento da glândula – tudo começa a trabalhar de forma mais lenta no corpo: o coração bate mais devagar, o intestino prende e o crescimento pode ficar comprometido”, diz o especialista.
A tireoide é uma glândula localizada na frente do pescoço, logo abaixo da região conhecida como Pomo de Adão (ou popularmente, gogó). Ela tem a forma aproximada de uma borboleta, com dois lobos de cada lado da traqueia unidos pelo istmo. Ela produz dois hormônios que contêm iodo, a tiroxina (T4) e a triiodotironina (T3). Estes hormônios são responsáveis por controlar a velocidade do metabolismo, influenciando no desenvolvimento do corpo e na atividade do sistema nervoso. Assim, é fundamental que ela esteja em perfeito estado de funcionamento para garantir o equilíbrio e a harmonia do organismo.
Quando a tireoide não exerce bem sua atividade pode liberar hormônios em excesso (hipertireoidismo) ou em quantidade insuficiente (hipotireoidismo). “Hormônios em excesso tornam a pessoa hiperativa, nervosa, com fome e faz com que perca peso. Já a falta de hormônio faz com que a pessoa fique mais lenta, se sinta cansada e engorde”, explica Kim.
Tanto o hipotireoidismo quanto o hipertireoidismo podem ser detectados através de exames periódicos e laboratoriais ou ainda analisando os sintomas. A doença pode aparecer por um período curto ou longo e ser desencadeada por diversos fatores. O importante é que diagnosticar as doenças da tireoide não é complicado e o tratamento pode melhorar a qualidade e salvar a vida das pessoas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário