sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Gladiadoras em promoção na Oscar Calçados

Atenção meninas!

Quem curte uma promoção levanta a mão aí. Melhor, saia correndo até a Oscar Calçados mais próxima de você ou acesse a loja virtual pois as sandálias Gladiadoras (goste você ou não) estão com 50 % de desconto.
Marcas como Kult, Ramarim, Aldeia com preços super interessantes- fim de semana começando e você garante um $ para o look completo.
Vejam algumas das sandálias !!!


Kult de R$ 109,99 por R$ 54,99

Produto

Aldeia de R$ 79,99 por R$ 39,99

Produto

Kult de R$139,99 por 69,99

Produto

Ramarim de R$ 159,99 por R$ 79,99

Produto

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Volta às aulas com Lilica e Tigor

A Lilica Ripilica e a Tigor T. Tigre lançaram uma linha super especial para a garotada que quer voltar às aulas com acessórios modernos.
Para elas as mochilas,lancheiras e estojos rosas, com destaque para a bolsa tiracolo super charmosa para as meninas.
Eles ganharam uma mochila com estampas radicais e um squeeze, ótimo para acompanhar os dias de calor.







Promoção na Menina de Laço

Atenção mamães de princesas!
Quem não gosta de embonecar a filha para levá-la para a escola - escolher tiaras e laços que combinam com o uniforme faz parte do dia a dia destas lindezas!
A loja de acessórios mais charmosa do Brasil está com uma promoção super especial !
Corram, é só até dia 31!

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Calvície Feminina- saiba como lidar

Hoje é dia de artigo interessante no Sempre Belezinha. Calvície Feminina é muito comum e tem solução





Por Rafaela Camargo

Apesar de muito conhecida dos homens, poucas pessoas sabem que a calvície também ameaça a vaidade feminina. Cuidar dos cabelos faz parte da nossa rotina, mas, muitas vezes, mesmo com todo cuidado, não conseguimos evitar que o pior aconteça. E, quando esse momento chega, é impossível evitar o desespero ao ver os fios caindo.
De acordo com a Sociedade Brasileira do Cabelo, 50% das mulheres têm alguma queixa relacionada à queda de cabelos. A calvície propriamente dita, que é uma rarefação aguda dos fios, atinge 5% da população feminina. O problema, além de mexer com a vaidade, afeta também o psicológico, causando preocupações e levando a distúrbios emocionais e sociais como, por exemplo, depressão e fobia social.
Na maioria dos casos, a calvície feminina tem como causa frequente distúrbios hormonais, como ovários policísticos ou problemas de tireoide. O problema se manifesta, principalmente, em mulheres no início da adolescência ou perto da menopausa. Herança genética, fatores emocionais e fisiológicos, como a utilização de medicamentos, estresse, anemia, déficit nutricional e uso inadequado ou excessivo de produtos químicos, como tinturas, alisantes e descolorantes, também podem causar ou agravar o problema.
O primeiro passo para tratar a questão é distinguir a queda excessiva de calvície. A queda comum se evidencia com a perda de aproximadamente 120 fios por dia. Já a calvície progressiva, se manifesta com uma rarefação no topo da cabeça, sem fios visíveis caindo. Minha dica é, se começar a notar tufos de cabelo na escova ou ainda perceber que os fios novos são mais finos que os outros, procure um médico, porque o diagnóstico pode ser calvície.
Há muitas opções de tratamento, mas na maioria delas, os resultados podem demorar um pouco para aparecer. Para mulheres que pretendem inibir o problema com rapidez e qualidade, evitando maiores danos à sua autoestima, minha recomendação é a micropigmentação capilar.  Com o procedimento é possível camuflar as entradas e o couro cabeludo com o preenchimento da região de forma bem natural. Independente do grau de calvície, é possível notar o resultado logo na primeira sessão.
A micropigmentação é uma técnica de preenchimento ou correção de falhas, realizada através do depósito de pigmento na pele por um aparelho chamado dermógrafo, semelhante à uma caneta e constituído por microagulhas. É o mesmo procedimento usado em sobrancelhas, podendo ser aplicado de diferentes maneiras, mais forte ou fraco, com várias opções de cores.
Uma dúvida muito comum sobre o processo é se ele intensifica a queda, mas não. A micropigmentação não provoca nenhum tipo de dano ao couro cabeludo e nem acelera a perda dos fios. Trata-se de um processo completamente seguro. Contudo, que deve ser realizado por um profissional habilitado.
Além do impacto positivo na aparência, o tratamento da calvície nas mulheres tem efeitos enormes na autoestima - o que pode refletir na vida profissional e pessoal, já que os cabelos são considerados essenciais quando se fala em feminilidade. O importante é sempre se cuidar com carinho e manter o astral lá no alto!

Rafaela Camargo é especialista em micropigmentação e fundadora da Clínica Rafaela Camargo. 

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Livro da Semana: Volta às aulas do pequeno Nicolau





E depois de um recesso merecido estamos de volta com muitas novidades!
Uma delas é a parceria com o Site de Notícias O Lorenense que vocês podem acessar pelo link aqui no nosso Sempre Belezinha ali em cima viu?
E como hoje é terçam dia de Livro da Semana vamos começar com a história do pequeno Nicolau que chega em uma escola e encontra professores super inquietos, pais mal encarados e um fotógrafo muito nervoso- tudo a ver com o clima de novidade do primeiro dia de aula.
De Rene Goscinny, a editora é Rocco e o preço médio é R$20,00.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Como anda sua tireóide?

Matéria: Divulgação

Endocrinologista do HCor explica que a incidência da doença é maior em mulheres;
No mundo, 300 milhões de pessoas têm disfunção na tireoide e metade não sabe
Quando a tireoide funciona mal, o corpo sofre os sinais, que na metade dos casos não são relacionados pelas pessoas como parte de uma doença. Ganho ou perda de peso, agitação ou sonolência, falta de crescimento ou tremores podem ser sintomas de hipo ou hipertireoidismo - baixo ou extremo funcionamento dessa glândula.

No mundo, 300 milhões de pessoas têm disfunção na tireoide e metade não sabe. Cerca de 15% da população sofre com o problema, o que coloca essa doença entre as que mais atingem os brasileiros, principalmente o sexo feminino, de acordo com o censo do IBGE. Outro dado da instituição afirma que cinco milhões de mulheres não sabem que tem algum tipo de disfunção na tireoide por falta de conhecimento dos sintomas.

De acordo com a endocrinologista do HCor (Hospital do Coração), Dra. Laura Frontana, a alteração da tireoide mais frequente é o hipotireoidismo, causado pela diminuição da secreção dos hormônios tireoideanos. Menos frequente, mas muito importante, é o hipertireoidismo, onde ocorre o inverso, com o aumento nos níveis sanguíneos destes hormônios. Quando a glândula não funciona normalmente, o paciente pode apresentar sintomas similares aos da depressão como fadiga, aumento de peso, diminuição do desejo sexual e problemas de concentração.

“No caso do hipotireoidismo, há uma produção insuficiente de hormônios. Tudo passa a funcionar mais lentamente: o coração bate devagar, o intestino prende e o crescimento pode ficar comprometido. Ocorrem também a diminuição da capacidade de memória, cansaço, dores musculares e nas articulações, sonolência, pele seca, ganho de peso, aumento nos níveis de colesterol e, em alguns casos, depressão. Pode haver ainda frio, queda de cabelo e infertilidade”, esclarece Dra. Laura Frontana.

Nessa situação, o organismo tenta "parar” o indivíduo, já que não há "combustível" para gastar. Apesar de ser mais comum acima dos 40 anos, o hipotireoidismo pode ocorrer em todas as fases da vida. Crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos podem ter a doença. “No outro extremo, há o hipertireoidismo, ou seja, a produção excessiva de hormônios. Tudo começa a funcionar rápido demais: o coração dispara, o intestino solta, os olhos ficam saltados, a pessoa fica agitada, fala demais, gesticula muito e dorme pouco, pois se sente com muita energia, mas também muito cansada”, alerta Dra. Frontana.


Tireoide e depressão:
A depressão é uma síndrome psiquiátrica altamente prevalente na população em geral. Especialistas apontam vários fatores envolvendo genética, estresse, mudanças corporais, principalmente cerebrais, que desempenham papel importante no desenvolvimento desta doença. Geralmente ela se apresenta com alterações do humor, cognitivas, físicas e do comportamento.
Podemos notar que em relação à tireoide a reciprocidade entre essa glândula e as emoções, os estados emocionais mais contundentes e o estresse levam ao ativamento do sistema imunológico, que ataca a tireoide causando as alterações hormonais. Entretanto, as alterações da tireoide também levam à alterações emocionais. “Sendo assim, alterações da tireoide junto com alterações psiquiátricas são muito comuns. Por isso a importância em saber reconhecer a doença endocrinológica que, muitas vezes, se manifesta com alterações psiquiátricas", finaliza Dra. Laura.
Hipotireoidismo e Hipertireoidismo. Qual a diferença?

Hipotireoidismo: a glândula trabalha menos do que deveria e atinge 4,6% da população brasileira. Ela provoca:
Aumento de peso;
Diminuição da frequência cardíaca;
Cansaço e sono;
Intestino preso;
Falha de memória;
Perda de cabelo e pele ressacada;
Dores musculares
Hipertireoidismo: a glândula trabalha demais e atinge 1,3% da população brasileira. Ela provoca:

Perda de peso acentuada;
Aceleração do ritmo cardíaco;
Dificuldade para dormir;
Ansiedade, nervosismo ou irritabilidade;
Variações no humor;
Tremores e intolerância ao calor.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Daniel e Bianca.: vale a pena acompanhar

Um pai resolveu criar no Facebook uma página para publicar os divertidíssimos diálogos que tem com os filhos ( Bianca, 6 e Daniel,9).
Resultado: sucesso garantido como estes abaixo...

"Papai bravo: Bianca, não vou falar de novo. Desliga a TV e vai tomar banho!
Bianca: Você só briga comigo!
Papai: É porque você não obedece.
Bianca: Você nunca briga com o Dani!
Papai: Ele já tomou banho.
Bianca: Mas ele se enxugou com a toalha de rosto, e você não deu bronca nele!
Papai: Daniel, você se enxugou com a toalha de rosto?
Daniel: Eu não!
Bianca: Foi na semana passada "

Tenho certeza que vocês vão se identificar!!!!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Gestantes e repelentes:sem restrições





Fonte:Portal Brasil

Não há qualquer impedimento para a utilização de repelentes de insetos por gestantes, desde que devidamente registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A informação da agência esclarece dúvidas que surgiram por causa da relação já comprovada pelo Ministério da Saúde entre o zika vírus e os casos de microcefalia diagnosticados no País. O zika vírus é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti.
Estudos conduzidos em humanos durante o segundo e o terceiro trimestres de gestação, e em animais durante o primeiro trimestre, indicam que o uso tópico de repelentes à base de n,n-Dietil-meta-toluamida (DEET) por gestantes é seguro, informou a Anvisa.
Precaução com crianças
O uso de repelentes em crianças entre dois e 12 anos, entretanto, tem restrições. A concentração dever ser no máximo 10% e a aplicação deve se restringir a três vezes por dia. Concentrações superiores a 10% são permitidas para maiores de 12 anos. Os repelentes não devem ser usados em crianças menores de dois anos.
Além do DEET, no Brasil são utilizadas em cosméticos as substâncias repelentes Hydroxyethyl isobutyl piperidine carboxylate (Icaridin ou Picaridin) e Ethyl butylacetylaminopropionate (EBAAP ou IR 3535), além de óleos essenciais, como citronela. Embora não tenham sido encontrados estudos de segurança realizados em gestantes, estes ingredientes são reconhecidamente seguros para uso em produtos cosméticos conforme compêndios de ingredientes cosméticos internacionais.
EUA
Nos Estados Unidos, os produtos repelentes são regularizados pela United States Enviromental Protection Agency (EPA). As seguintes substâncias estão presentes em produtos regularizados pela EPA: Catnip oil, Óleo de citronela; DEET; IR 3535; p-Menthane-3,8-diol e 2-undecanone ou methyl nonyl ketone. Portanto, os ativos utilizados no Brasil estão dentre os utilizados nos Estados Unidos.
O Center for Disease Control e Prevention (CDC), também nos EUA, recomenda o uso de produtos repelentes por gestante, uma vez que a EPA, responsável pela autorização de uso destes produtos nos Estados Unidos, não estabelece nenhuma restrição nesse sentido. Entretanto, destaca que as recomendações de uso da rotulagem devem ser consideradas.
A consulta de repelentes de insetos de uso tópico regularizados na Anvisa pode ser feita por meio da internet. É só clicar aqui.
Repelentes ambientais e inseticidas
Repelentes ambientais e inseticidas também podem ser utilizados em ambientes frequentados por gestantes, desde que estejam devidamente registrados na Anvisa e que sejam seguidas as instruções de uso descritas no rótulo.
A Anvisa não permite a utilização de substâncias que sejam comprovadamente carcinogênicas, mutagênicas ou teratogênicas em produtos saneantes. Entretanto, como os produtos são destinados a superfícies e ambientes, não são apresentados estudos com aplicação direta em pessoas, o que significa que uma superexposição da gestante ao produto pode não ser segura.
Dessa forma, a segurança para a utilização desses produtos em ambientes frequentados por gestantes depende da estrita obediência a todos os cuidados e precauções descritas nos rótulos dos produtos.
Exemplo de restrição trazida no rótulo é: “durante a aplicação não devem permanecer no local pessoas ou animais domésticos".
Os produtos comumente utilizados no combate e/ou no controle da população do mosquito Aedes aegypti são:
Inseticidas
Indicados para matar os mosquitos adultos e são encontrados principalmente em spray e aerossol. Os inseticidas possuem substâncias ativas que matam os mosquitos e componentes complementares tais como solubilizantes e conservantes.
Repelentes
Apenas afastam os mosquitos do ambiente, podendo ser encontrados na forma de espirais, líquidos e pastilhas utilizadas, por exemplo, em aparelhos elétricos. Os repelentes utilizados em aparelhos elétricos ou espirais não devem ser utilizados em locais com pouca ventilação nem na presença de pessoas asmáticas ou com alergias respiratórias. Podem ser utilizados em qualquer ambiente da casa desde que estejam, no mínimo, a dois metros de distância das pessoas.
Os inseticidas “naturais” à base de citronela, andiroba e óleo de cravo, entre outros, não possuem comprovação de eficácia nem a aprovação pela Anvisa até o momento. Os produtos que se encontram atualmente regularizados na Anvisa com tais componentes possuem sempre outra substância como princípio ativo.
Portanto, todos os produtos apregoados como “naturais”, comumente comercializados como velas, odorizantes de ambientes, limpadores e os incensos, que indicam propriedades repelentes de insetos, não estão aprovados pela Agência e estão irregulares.
A consulta de produtos considerados repelentes ambientais e inseticidas regularizados na Anvisa pode ser feita por duas classes: registrados e notificados.
Vale ressaltar que não há medicamentos aprovados com a finalidade de repelir insetos. A Tiamina ou Vitamina B não apresenta eficácia comprovada como repelente e esta indicação de uso não é aprovada pela Anvisa.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Tranças para o verão

Depois de uma pausa forçada (problemas técnicos rs), o Sempre Belezinha está de volta
Vamos combinar que não há quem aguente cabelo solto no calorão das últimas semanas.
Acessórios como elásticos, tiaras, presilhas são super aliados para criar aquele visual despojado e fresquinho e ser usado em festas, na praia, em passeios e em casa (principalmente nos dias que o cabelo acorda com vida própria).
As tranças além de lindas estão em alta na cabeça da meninada que curte um look gracioso.
Inspirem-se nas fotos e faça a sua...