quinta-feira, 6 de agosto de 2015

TAG Transtorno de Ansiedade Generalizada- Evite este mal

                             


Passar mal por conta da ansiedade não é normal, a psicóloga Cintia Seabra explica os sintomas e tratamentos do TAG. 


Matéria- divulgação

Ter ansiedade antes de eventos importantes, apresentações, entrevistas de emprego ou ao receber o resultado de um concurso público, é normal. Agora, ser excessivamente preocupado ou apreensivo com tudo, sem explicação, não é normal. Ter a sensação contínua de que algo ruim vai acontecer, medo de ser humilhado publicamente, e falta de controle sobre pensamentos e atitudes, são sintomas do Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG).
A psicóloga e Master Coach Cintia Seabra, descreve que, se esses sintomas persistirem por pelo menos seis meses, quer dizer que você tem esse distúrbio, considerado uma doença, como a depressão. Esse transtorno psíquico traz alguns efeitos colaterais, como inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular e perturbação do sono.
Segundo um estudo realizado pela Escola de Medicina da USP, 12% da população brasileira é ansiosa, isso é aproximadamente 24 milhões de pessoas, todas com ansiedade patológica. Esse cálculo prevê que 23% da população brasileira terá algum distúrbio ansioso ao longo da vida. Apesar de não ter números precisos sobre quantas pessoas no mundo sofrem com a ansiedade, sabe-se que, um universo de 700 milhões de indivíduos sofrem com algum tipo de distúrbio mental, a depressão e a ansiedade são os dois mais comuns.
De acordo com a Master Coach, alguns efeitos físicos que esse distúrbio pode causar são: dores de cabeça, falta de ar, dores no peito, dores nas costas, sensação de cansaço e incapacidade de descontração. Em alguns casos mais graves os pacientes podem ter tremores, sudação, rubor, palidez, dores abdominais e diarreia. "Dependendo do grau de ansiedade de uma pessoa, é possível que ela desenvolva algum outro problema de saúde, sendo depressão, insônia e distúrbios alimentares os mais comuns", afirma a psicóloga.
Essa doença tem uma ligação direta com a obesidade, porque depois de um dia estressante em que você se sentiu pressionado ou quando está passando por um momento difícil, vai compensar na comida, buscar nela o conforto, o bem estar, que falta na sua vida. "Nessas horas, as comidas ingeridas serão, geralmente, doces ou gordurosas, o que não é um hábito saudável. Esse ciclo se repete diariamente, causando problemas mais sérios, como obesidade e diabetes", pontua Cintia.
O tratamento deve ser feito com um psicólogo ou médico psiquiatra. Normalmente usam remédios, psicoterapia ou terapia holística (massoterapia, florais de Bach, acupuntura, etc). Apesar do último ter resultados questionáveis, os outros dois são extremamente eficazes. Praticar exercícios físicos ajuda a lidar com a ansiedade, porque amplia a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer. a ingestão de alguns alimentos específicos também pode ajudar, são recomendados: bananas, frutas cítricas, ovos, leite, espinafre e mel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário