quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Estética na Gravidez

                          
Matéria: divulgação
A maternidade é um momento muito aguardado pela maioria das mulheres. No entanto, a gestação ainda é um período envolto em mitos e dúvidas. É nessa fase que o corpo passa por diversas transformações e a gestante por um turbilhão de emoções. Além das preocupações normais, que já fazem parte da rotina da mulher, outra grande dúvida surge: é possível continuar com os cuidados estéticos no período gestacional?
De acordo com Dr. Renato de Oliveira, ginecologista responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, o primeiro trimestre da gravidez é o mais delicado de todos. Nesta fase, os cuidados com o uso de produtos e medicamentos deve ser redobrado para que não ocorram problemas com a formação do feto. “Neste período, as mudanças estruturais ainda são discretas. Com o acúmulo de líquidos e uma leve distensão abdominal, as gestantes podem iniciar sessões de drenagem linfática, mas não é recomendado drenar esta região. Sessões mensais de limpeza de pele e hidratação da pele também estão liberadas em qualquer período. No entanto, a escolha dos produtos deve ser bem cuidadosa e a preferência deve ser por cosméticos naturais ou orgânicos”, recomenda.
O especialista ainda ressalta que a grávida pode e deve fazer tratamentos para melhorar sua estética, mas sempre com acompanhamento médico. “É muito importante conversar com o médico antes de iniciar qualquer tratamento. Assim como existem procedimentos contraindicados, há aqueles que não prejudicam a gestação e favorecem o bem-estar da mãe, auxiliando na diminuição do inchaço e manchas”, explica Dr. Renato.
Para ajudar as futuras mamães, o especialista fez uma lista de contraindicações e tratamentos que ajudam a mulher a manter corpo e mente em equilíbrio durante a gestação. Confira!
RADIOFREQUÊNCIA
NÃO PODE.  Apesar de estimular a produção de colágeno e deixar a pele mais firme, o aparelho pode exercer forte pressão e aumentar o estresse e as dores na gestante.
TINGIR OS CABELOS
NÃO PODE. Principalmente nas primeiras 16 semanas de gravidez, não é aconselhável utilizar tinturas para cabelo, pois o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada, o que facilita a entrada da química da tintura na corrente sanguínea. Após este período, não temos evidências da segurança deste procedimento. Shampoos tonalizantes após as primeiras 16 semanas é uma opção mais segura.
DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL
ü  PODE.  O procedimento é ótimo para aliviar as dores nas pernas causadas pela retenção de líquidos na gravidez. Alguns cuidados devem ser tomados como evitar a drenagem do abdômen e não usar cremes corporais com Nicotilato de Metila e/ou Cafeína.
DEPILAÇÃO
 v  DEPENDE. A depilação com cera morna ou feita com lâmina pode ser realizada. No entanto, a depilação a laser não é recomendada.
ALISAMENTO CAPILAR
NÃO PODE. Os alisamentos devem ser evitados durante a gestação, bem como produtos à base de formol, chumbo, amônia, ureia, aromas intensos e componentes alergênicos. Porém, as hidratações podem ser feitas, desde que a composição de cada produto seja verificada.

MANICURE E PEDICURE
 ü  PODE. O grande cuidado a ser tomado é evitar infecções por bactérias, fungos e vírus. Como prevenção, deve-se optar por profissionais que utilizem materiais descartáveis e auto clavados (mesmo processo de esterilização realizado nos hospitais). Esses cuidados valem independentemente de estar ou não grávida.
PEELINGS
 v  DEPENDE. A maioria dos peelings químicos é contraindicada durante a gestação. Porém, existem alternativas que podem ser avaliadas individualmente com seu dermatologista. Alguns peelings mecânicos podem ser avaliados em determinados casos.
MAQUIAGEM DEFINITIVA
NÃO PODE.  Há o risco de os pigmentos introduzidos na pele acarretarem reações alérgicas ou anafiláticas. Além disso, o procedimento também é doloroso e provoca estresse, o qual aumentan o risco de trabalho de parto prematuro

Nenhum comentário:

Postar um comentário