segunda-feira, 22 de junho de 2015

Gripe: sempre alerta!





Com a chegada do frio, aumenta a busca pela vacina contra a gripe. O que muita gente não sabe é que existe diferença entre ser vacinado e estar imunizado. De acordo com o pneumologista e diretor técnico do Hospital do Pulmão Mauro Kreibich, a vacinação é o ato de aplicar a vacina e a imunização é o desenvolvimento de anticorpos específicos derivados da vacina aplicada de forma correta. “A eficácia das vacinas depende de seu armazenamento e logística de transporte, além do manuseio e aplicação adequada, orientada pelo Programa Nacional de Imunizações. Desta forma, o manuseio inadequado, salas de vacinação não refrigeradas por 24 horas, ausência de câmaras de refrigeração ou equipamentos com defeito, e até mesmo a falta de energia elétrica podem interromper o processo de refrigeração, comprometendo a potência e eficácia das vacinas”, destaca.

Isso quer dizer que estar vacinado não significa que você realmente foi imunizado contra a gripe. Por isso, Kreibich orienta para que a população fique atenta na hora de se vacinar, buscando informar-se sobre a situação das doses, se o local possui gerador e se as vacinas são armazenadas corretamente em uma câmara refrigerada. “Um teste inicial simples é que você deve sempre sentir frio em uma sala da vacinação”, explica o médico. Outro dado fundamental é conferir se a sala de vacinação funciona rotineiramente, aplicando todas as vacinas, evitando-se as estruturas que só funcionam na época das campanhas.

Além dessa questão, a população deve ficar atenta ao tipo da vacina. O Hospital Dia do Pulmão (HDP), por exemplo, oferece a dose que protege contra quatro cepas do vírus da gripe e duas linhagens, em doses para adultos e crianças. Além disso, o HDP é a única instituição do município e região certificada pela Sociedade Brasileira de Imunização (Sbin).

De acordo com Kreibich, a vacina antigripal imuniza em até 90% dos casos evitando a gripe e suas complicações, quando aplicada no período certo e em local qualificado. Por isso, o período ideal para vacinar-se contra a gripe é no início do outono.

Neste ano, o Hospital do Pulmão disponibiliza a vacina quadrivalente, que além das cepas A/H1N1, A/H3N2 e uma cepa B, contempla uma segunda cepa B, ou seja, a vacina terá as linhagens Yamagata e Victoria. O médico explica que nas vacinas trivalentes, encontram-se apenas uma das duas linhagens. “Desde o ano 2000 temos observado em todo o mundo, a circulação das duas linhagens de vírus influenza B (Victória e Yamagata) num mesmo ano. Em cerca de 50% das vezes, a linhagem B contida na vacina não é coincidente com a que predomina numa temporada, por isso, a vacina quadrivalente é mais segura e eficaz”, explica.
Devem ser vacinados, prioritariamente, idosos, crianças, gestantes e portadores de doenças crônicas. Entretanto, Kreibich ressalta que é fundamental que quem não faz parte dos grupos de prioridades procure a rede privada especializada e credenciada para se vacinar, pois além da influenza H1N1 ainda circulando, tivemos uma mutação do vírus H3N2 que ocasionou hospitalizações e óbitos em grande escala no hemisfério Norte, o que causa preocupação para o período de frio no Brasil.

Cuidados e precaução

O pneumologista Mauro Kreibich destaca alguns cuidados que as pessoas devem ter antes de se vacinar contra a gripe e contra outras doenças, para que a imunização desejada aconteça:

– Conheça a rede em que pretende se vacinar, seja pública ou privada. Procure saber se possui sala de vacina credenciada para aplicação;
– Conheça os profissionais responsáveis pela aplicação da vacina. São especializados?;
– Verifique onde estão armazenadas as vacinas e como são manuseadas;
– Verifique se as temperaturas da sala de vacina (18C) e da câmara de armazenamento estão conforme o recomendado ( 2 a 8 C) conforme o recomendado
- Confira se o transporte das vacinas é realizado em caixas térmicas com controle da temperatura visível ( 2 a 8 C)
– Também confira se há dispositivos auxiliares para rede de energia

Nenhum comentário:

Postar um comentário