sexta-feira, 18 de julho de 2014

Dicas para quem quer comprar um carro usado



Foto: ocarrousado.wordpress.com


Mamães: um carro é uma ajuda e tanto para nós que precisamos levar nossos pequenos à escola,ao médico,dentista,fazer compras.Não é luxo,mas uma necessidade.
Na hora de obter o seu,o  dilema entre adquirir um carro usado ou um carro zero quilômetro pode ser determinado pelo custo-benefício que cada um pode oferecer. Se a vontade é comprar um carro mais completo pelo mesmo preço de um sem opções adicionais, o usado leva vantagem, mas perde se for levado em conta os custos com a manutenção;  já ao adquirir um carro zero, a manutenção é desnecessária, mas a perda financeira se dá pela depreciação do automóvel, muito maior nos primeiros anos do carro.
Além disso, a escolha pela aquisição de um carro usado vai muito além da análise da quilometragem e da aparência do veículo. Para isso, o diretor comercial da Super Visão Perícias Automotivas, João Roberto Reis, revela algumas dicas para que os futuros compradores não sejam enganados no momento da compra.
“Não adianta apenas analisar o veículo a olho nu, existem modificações ilegais, como alteração de chassi e número do motor, por exemplo, que um leigo não conseguirá enxergar. Carros provenientes de leilões e consertados após um sinistro ou batida, também passam despercebidos, no momento da compra é preciso ter muito cuidado”, pontua Reis. Para isso é necessário uma Pericia Automotiva profissional, como a realizada pela Super Visão
Além disso, existem procedimentos que o próprio condutor pode realizar para avaliar o bom funcionamento do carro como analisar freios, caixa de câmbio, pneus, latarias e vidros, que são imprescindíveis. Um exemplo é pisar no pedal do freio e ligar o carro, se o pedal descer um pouco e parar, fique tranquilo, o freio e as pastilhas estão em ordem. 
João Roberto Reis ainda revela que é preciso que a quilometragem esteja compatível com o ano do veículo. “Em média, um carro com cinco anos, precisa ter no mínimo 90 mil rodados”, resume.  
De qualquer forma, a vistoria cautelar ainda é a melhor opção, uma vez que ela resume toda a situação do veículo em um relatório, comparando os dados com os que constam nos sistemas dos órgãos competentes, como DETRAN, CIRETRAN, entre outros. E assim que a vistoria é concluída, os proprietários dos automóveis recebem um laudo técnico, um verdadeiro atestado de saúde veicular.

Nenhum comentário:

Postar um comentário