segunda-feira, 16 de junho de 2014

Fogos de artifício e pets na Copa: como fazer?

             

 Com a Copa chegando, mais as tradicionais festas juninas, junho vai ser um mês difícil para quem tem cães, já que eles costumam ficar extremamente agitados e chegam a ter medo do barulho. Isto porque os cães têm a audição quatro vezes mais sensível que a humana e escutam frequências que são inaudíveis para nós. Portanto, o som de um rojão, que para o homem pode ser insignificante, para o cão pode ser tão intenso quanto ao de uma explosão. Em momentos como este o instinto de preservação fala mais alto e o animal tenta uma fuga para se afastar do que ele reconhece como perigo. Com isto, cães podem se cortar atravessando janelas ou portas de vidro, cair de varandas ou sacadas, fugir pelo portão ou apresentar problemas cardíacos e nervosos.
Nestes casos, não adianta apenas colocar o cão em um cômodo mais isolado da casa, ou fechado, pois o estrondo é absorvido da mesma maneira. O ideal é acomodar os animais em locais onde eles possam se ver livres de tais barulhos e se sentirem protegidos, sem a necessidade de se refugiarem a todo momento. Uma opção o caso do Clube de Cãompo, um clube exclusivo para cachorros no interior paulista.
Localizado na cidade de Itu, o primeiro clube para cães do Brasil possui 60.000 m² em um sítio totalmente dedicado aos pets, deixando-os isolados de qualquer tipo de estresse que esta época do ano possa os causar. Com aulas de natação, agility e muita socialização canina, o Clube de Cãompo já registrou um aumento em 54% nas reservas para este período e está na expectativa do crescimento dos números nas vésperas dos jogos.
O veterinário e fundador do Clube de Cãompo, Dr. Aldo Macellaro Jr, afirma que hospedar os dos pets. “Além de estarem longe da festa e dos barulhos das grandes cidades, os pets encontram muita diversão e fogem um pouco da rotina comenta.
Para os donos de pets que não poderão contar com esta opção, precisando permanecer com seus cães em casa nas próximas semanas, a dica é levar o pet para um canto mais sossegado da residência, em um local onde não haja objetos ou estruturas onde ele possa se machucar na hora da agitação. Colocar algodão no ouvido do cão e fazer uma bandagem em volta das orelhas pode diminuir o ruído percebido pelo cão, também é uma opção. Evite confortar o cão nestes momentos de pânico, pois isto é um reforço positivo para que ele tenha cada vez mais medo, e que este problema cresça exponencialmente. Procure ajuda de um profissional com experiência (veterinário ou treinador) para receber orientações de como proceder nestas horas.

Conheçam mais em www.clubedecaompo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário