quarta-feira, 14 de maio de 2014

Cuidado com o sal na gravidez

O tempero mais usado no preparo dos alimentos, de acordo com a Organização Mundial de Saúde é o sal e as necessidades diárias de uma pessoa ficam em torno de 6 gramas, incluindo o sal adicionado e o contido no próprio alimento.
                        

“Embora a natureza nos ofereça um mecanismo perfeito, capaz de eliminar o excedente de sal pelos rins, os erros repetidos entre a ingestão/excreção da substância acabam por alterar este equilíbrio. Os distúrbios trazidos pelo uso abusivo do sal só foram conhecidos no início do século, quando se pesquisaram as causas dos edemas (inchaços), da insuficiência cardíaca, da cirrose e das doenças renais. Mais tarde comprovou-se que o sal agravava e, até mesmo,  provocava a hipertensão arterial”, explica o diretor clínico da Santa Casa de Mauá, Odair Branco.

Durante a gestação, quando a mulher apresenta um excessivo aumento de peso e de volume de líquido corporal, de fato se justifica a redução da ingestão do cloreto de sódio. As recomendações ficam em torno de 2g a 3g por dia, o que corresponde a menos de uma colher de chá, incluindo o sal dos alimentos e aquele utilizado no preparo deles. Se a mulher for hipertensa, torna-se obrigatório o controle mais rigoroso, pois a doença pode evoluir, representando um grande risco para a gestante e para o feto.

“Com nosso hábito alimentar, sem dúvida seria quase impraticável abolir totalmente o sal, mas, ao estabelecer uma dieta, deve-se lembrar das dosagens contidas nos alimentos ao natural, sendo que 1g de sal contém 400mg de sódio”, acrescenta o médico.
A carne, por exemplo, já contém 65 mg de sódio em l00 g; o ovo, 122 mg e o peixe,140 mg em l00 g. Isso sem falar de uma fatia de pão, 114 mg; quatro fatias de bacon, 548 mg; 2 fatias de presunto, 1,5g de sódio e das outras altas dosagens contidas nas conservas, nos biscoitos (por exemplo, seis bolachas de água e sal contém 0,85g de sódio), nas sopas, nos alimentos semiprontos, e em algumas preparações açucaradas, onde o sal acentua o sabor. Quem pratica algum esporte ou expõe o corpo a temperaturas elevadas, é aceitável um reforço moderado na ingestão do sal.
Segundo Odair Branco, para evitar problemas com a ingestão do sal, é necessário fazer rigorosos controles, principalmente as gestantes, que são mais suscetíveis a inchaços e hipertensão.  
MUITO ALTO (> 150mg/100g)
ALTO (80-150mg/100g)
Bolacha de água e sal, couve manteiga, damasco seco, pão francês, espinafre, margarina
Ameixa preta, beterraba, escarola, castanha do Pará, grão de bico, leite de vaca, sardinha
MÉDIO (40-80mg/100g)
BAIXO (< 40mg/100g)
Aveia, banana, batata, brócolis, cenoura, iogurte, tomate
Alface, arroz, berinjela, laranja, maçã, mamão, pepino

Nenhum comentário:

Postar um comentário