quarta-feira, 26 de março de 2014

Entrevista: Luana Camarah

                                Outubro de 2013. Famílias e amigos reunidos como se aguardassem um jogo de final copa do mundo: assim eram os dias de audição da segunda temporada do programa The Voice Brasil, exibido pela Rede Globo de Televisão.
 Com celulares e notebooks a postos para compartilhar nas redes sociais suas opiniões,preferências e desgostos o público viu entrar no palco uma moça toda tatuada com um estilo próprio: começaram os primeiros acordes na guitarra de Highway to Hell, da banda australiana AC/DC. Ao ouvir as palavras“living easy...” Lulu Santos, o “legendário” do pop/rock nacional virou sua cadeira e impressionado assistiu à performance da cantora.Inclusive declarou que seu nome era de estrela. Ela não venceu o programa porém ganhou muito mais :124 mil seguidores e fãs espalhados pelo Brasil.
Mas muito se engana quem pensa que  a carreira desta moça começou ali naquele dia: desde 2005 é a vocalista da Banda Turne, formada por Joziel Wagner(guitarra), Bruno Freire(baixo) e Luiz Cunha(bateria) , que já está no terceiro CD ,intitulado Maquinário.
Hoje é dia de rock no Blog bebês. Virem suas cadeiras. Com vocês nossa entrevistada: Luana Camarah. (Tatiana Valente)

                                 

SB-Quando você começou a se interessar por música e quais suas influências ?
Luana Camarah- Comecei cantando por influência da minha família que é de músicos: meu pai sempre tocou, minha mãe é cantora gospel, então cresci cantando com eles .Daí  acabava ouvindo o que eles gostavam  e era da época deles- meu pai ouvia muito chorinho, música gospel, foi aí que comecei a me interessar pela música.


SB- Você é de Taubaté, cidade conhecida como terra do Mazzaropi, do Jeca do Monteiro Lobato. Como apareceu o rock  em sua vida?
Luana Camarah- O rock and roll entrou na minha vida quando eu já tinha uns 14 anos . Já tinha uma banda de black music e meu irmão que sempre foi roqueiro e toca também e me disse : “Lu,vamos ter uma banda juntos”- foi ele quem inseriu músicas no meu repertório e me dizia" ouve isso,ouve aquilo"...- nisso comecei a gostar de rock and roll.
 

SB- No Brasil podemos citar poucas roqueiras conhecidas: Rita Lee,Pitty....
 O cenário do rock nacional é machista?
Luana Camarah- Não, não acho o cenário do rock nacional machista. Acho  que as mulheres gostam mais de ouvir músicas românticas, mais tranquilas e o rock é um estilo de som mais pesado. Os garotos tendem mais a gostar do estilo.


SB-O que passou pela  sua cabeça quando todos os técnicos do “The Voice”  viraram as cadeiras?
Luana Camarah- Olha pra falar a verdade não imaginava que todo mundo iria virar a cadeira ,mas eu fui certa do que iria fazer, independente se alguém virasse a cadeira ou não. Eu sabia que ia lá para cantar rock and roll .Eu tinha uma chance de o Lulu que é ícone do pop/rock nacional ,na verdade, eu sentia no coração que tinha uma chance dele virar. Num programa deste porte são poucas as pessoas que tem a coragem de cantar um rock and roll pesado- as pessoas vão para cantar músicas românticas, MPB. São poucas as pessoas que vão para defender um estilo de música que está quase extinto no Brasil. Lógico que tem o público fiel do rock, mas ainda são poucos. 

 
 SB-Como foi ter o Lulu Santos como técnico e o que ficou do The Voice?
Luana Camarah- O Lulu...Fiquei impressionada porque o Lulu é um cara muito técnico, ele te ouve cantar 3 vezes a mesma música e fala tudo que você está fazendo, oque deveria fazer, além de  ser um grande músico, é um grande produtor. Fiquei muito feliz em ter conseguido  aquele espaço com ele, de ter esta experiência que foi demais: em 4 meses mudou muito a minha vida. Ainda mais dividir tudo isso com um ícone como o Lulu,um cara que sou fã, que tem músicas que são atemporais- você ouve uma música hoje que te toca da mesma forma quando você ouviu pela primeira vez há dez, vinte anos. O som dele tem essa magia do som que Renato Russo fez, Rita Lee faz, que  você ouve e fala “caraca”...Uma balada simples mas que te toca de maneira surreal.

SB- Você tem um estilo próprio de se vestir e tem inspirado muitas meninas. A Luana é vaidosa?
Luana Camarah- Sou MUITO vaidosa(risos). Cada dia invento uma moda ,cada dia faço uma coisa: um dia cabelo, drenagem linfática, limpeza de pele. Sou muito” bitolada” com isso (risos).

SB- Que dicas você daria a uma adolescente que tenha uma banda de garagem e sonha em seguir carreira?
Luana Camarah-  Persistência. Acho que é a maior qualidade que se pode ter na música independente do estilo . Tem que persistir muito porque existe muita concorrência – pra você alcançar excelência tem que trabalhar: digo trabalhar mesmo ,todos os dias, buscar informações, ouvir todos os estilos de música independente se você gosta ou não gosta tem que procurar o que aquele estilo de música tem de bom. A música é um aprendizado constante.

SB- A Banda Turnê está no 3º CD. Quais os planos futuros?

Luana Camarah- Vamos lançar um cd por um selo nacional,será distribuído pelo Brasil todo. A gente ainda não tem informação do que será gravado, se  este último disco nosso será relançado ou se serão gravadas coisas novas.  Mas será lançado um novo cd.

Ouça as músicas da banda Turne no site:www.bandaturne.com e acompanhe a banda pelas fanpages https://www.facebook.com/luanacamarah e https://www.facebook.com/bandaturneOficial

Nenhum comentário:

Postar um comentário