segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Alunos do Rio de Janeiro mostram solidariedade na prática

Por Renato Guima (RJ)


                         

Nessa época do ano, não faltam notícias sobre boas ações. Mas há quem ache que elas devem acontecer todos os meses, inspirando outras pessoas a fazerem o mesmo. Para organizar a vida de quem deseja ajudar o próximo e não sabe como começar, um grupo de jovens resolveu criar o projeto Ser Voluntário. Gabriela Pereira, hoje na faculdade, tomou contato com o trabalho voluntário no ensino médio, no Rio de Janeiro, e não parou mais, até criar com amigas o projeto, em 2013. A internet é o ponto de encontro entre os que querem agir e as entidades sérias que precisam de apoio. 
"A ideia surgiu a partir das minhas experiências de voluntariado, que aconteceram através dos projetos sociais desenvolvidos pelo Colégio Teresiano. Aos 16 anos, comecei a trabalhar em uma creche na comunidade Santa Marta, por conta própria. Cheguei, então, a duas conclusões: encontrar o trabalho voluntário que se encaixe no seu perfil é processo complicado e a grande maioria tem noção pré-concebida sobre o voluntariado que raramente reflete a realidade. O projeto nasceu como tentativa de resolver os dois problemas", conta Gabriela, que também dá aulas de inglês na favela da Rocinha.
Aluna no Teresiano, Luisa Paulino é uma das jovens que coordenam o trabalho com Gabriela. Juntas, elas fazem a ponte entre voluntários e instituições como a Associação Saúde Criança Zona Sul, que realiza trabalho em hospitais; a Obra do Berço, que apoia mães de recém-nascidos; asilos, creches e ONGs. "Ajudar o próximo nos motiva", diz Luisa.
Coordenadora de projetos sociais no Teresiano e engajada em projetos sociais em comunidades carentes desde a idade de Gabriela e Luisa, a professora Rosangela Tardelli acha gratificante o envolvimento das jovens. "A escola tem que dar o exemplo sempre. E fazer o bem é matéria que não pode faltar", frisa Rosangela, citando como bons exemplos a 11ª Feira de Solidariedade do Colégio Teresiano, com mais de 30 artesãos e ONGs parceiras, e o pré-vestibular comunitário Êxito. 
"A defesa da sustentabilidade e da solidariedade são temas sempre presentes dentro e fora das aulas no Teresiano", completa Glória Fátima do Nascimento, diretora do Colégio de Aplicação da PUC


"

Nenhum comentário:

Postar um comentário