segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Obesidade Infantil aumenta no país

Má informação, componente genético e sedentarismo figuram como fatores da doença

Enquanto a taxa de obesidade infantil entre crianças pobres dos Estados Unidos apresenta ligeira queda, no Brasil elas estão cada vez mais obesas. O aumento de peso é  frequente na população de baixa renda  porque, além da má informação nutricional, existe o custo  elevado dos alimentos saudáveis (carnes, vegetais e frutas) e a cesta básica, que alimenta muitas famílias, é composta de alimentos gordurosos como açúcar, farináceos e grãos.
“Segundo o senso do IBGE de 2009, o índice de crianças com excesso de peso no Brasil foi de 19,4% e de obesidade de 4%. Se comparado com valores de anos anteriores, esse índice vem aumentando. No ano de 2003 ele era de 15,1% para o excesso de peso e de 3% para obesidade”, explica Dr. Osmar Monte, membro da SBEM-SP. 
O aumento de peso na população infantil é derivado de um conjunto de fatores: 
- componente genético familiar: quando os dois  pais são obesos o risco da criança se tornar obesa é de 80%; quando apenas um dos pais é obeso, o risco é de 50%, e; quando os dois pais têm peso normal o risco é de 9%; 
- falta de atividade física: crianças sem espaço para lazer;
- os maus hábitos alimentares induzidos por propaganda intensiva dos meios de comunicação;  
- falta de conhecimento sobre nutrição pela população.
As medidas para combater a obesidade são simples, mas difíceis de serem implementadas, pois estão vinculadas ao ambiente em que a criança é criada. “O sedentarismo, assistir televisão e ficar comendo salgadinhos, por exemplo, deve ser combatido. Os pais devem ‘emagrecer’ o carrinho no supermercado, evitando levar para dentro de suas casas determinados alimentos ‘engordativos’ e darem exemplos a seus filhos”, alerta Dr. Osmar.

O papel da escola
A inserção de matérias que possam elencar os temas sobre o valor nutritivo e calórico dos alimentos, a importância de cada um deles e o que a falta de uma alimentação saudável causa no organismo podem colocar a escola como papel central no combate à obesidade. “ Essas matérias deveriam ser dadas desde o jardim da infância e reforçadas durante todo o ensino fundamental. A escola também deve cuidar melhor de suas cantinas ou refeições e incentivar a prática de atividades físicas, especialmente as lúdicas, para que a criança crie o hábito de se exercitar”, conclui o médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário