sexta-feira, 12 de abril de 2013

Artigo-Alienação Parental: separação, filhos e relações frágeis, como lidar?



Confiram este ótimo artigo da coach Roselake Leiros,  diretora da CrescerMais



Em Salve Jorge, personagem de Caco Ciocler faz os gostos da filha para manipulá-la contra a mãe



Equilíbrio e harmonia familiar devem prevalecer nas relações para preservar as crianças

Os personagens dos atores Letícia Spiller (Antônia) e Caco Ciocler (Celso), na novela “Salve Jorge” estão mexendo com uma realidade muito comum em famílias brasileiras, porém, um tanto desconhecida na sua profundidade: a Alienação Parental. No caso da novela, Celso e Antonia se separam, e o pai usa a filha (Raissa) para atingir a ex-mulher.
De acordo com a especialista em comportamento humano, coach de relacionamento e diretora da CrerSerMais, Roselake Leiros, a alienação parental é quando o pai ou a mãe tenta impor o rompimento do laço afetivo do filho com o outro cônjuge.
Os desentendimentos, brigas e desilusões são muitas vezes os motivos que levam casais a reavaliarem o casamento e por fim optarem por uma separação que nem sempre é consensual, o que pode causar prejuízos diversos e danos comportamentais em toda família, principalmente nos filhos.
As crianças que sofrem a alienação parental podem desenvolver diversos reflexos negativos, como revolta e fragilidade. Passam a ter baixa autoestima, profundas carências, inseguranças, dificuldades de relacionamentos e tudo isso pode afetar as atitudes deste futuro adulto. “O filho que sofre a alienação parental e na vida adulta não consegue rever a questão e se libertar deste estado, está carregando isso para sua própria vida, contaminando suas relações futuras com seu cônjuge e filhos,” conta Roselake.
Nas separações, de forma geral, existe uma parte que se sente prejudicada, ou fragilizada, e essa é a parte que não aceita a separação. “É preciso compreender que nos estados de dor o indivíduo aciona seus mecanismos inconscientes de busca de compensação. Ele busca pessoas que sejam solidárias com sua dor e, geralmente, é se colocando como o coitadinho, o enganado, o lesado da história, querendo evidenciar comportamentos perversos, injustos e desonestos do outro. Com o tempo vai contaminando a todos com suas lamúrias e ter a concordância dos filhos é o seu maior trunfo”, explica Roselake.
A mais efetiva e conhecida terapia sistêmica, “Constelação Familiar”, diz: para que o sistema familiar tenha equilíbrio e harmonia, cada participante deste sistema deve respeitar o lugar e a expressão de cada membro deste sistema. “Respeitar não significa concordar e sim dar ao outro o direito de ser e pertencer. A instituição família não se dissolve jamais, apenas o casamento, pais serão para sempre pais e filhos, e negar isso é romper a ordem e instalar um caos energético que atinge a todos, geração após geração, até que esta mesma ordem se restabeleça um dia”.   
Crianças que vivem em uma família harmoniosa, seja ela de pais separados ou não, que possuem um convívio saudável, e que os pais sabem amar e colocar limites, se desenvolvem sem medo de errar, confiantes em si mesmas e no mundo.


Roselake Leiros é Coach de vida e de carreira, com mais de 13 mil horas de atendimento. Consultora, palestrante, especializada em desenvolvimento humano. Programação Neurolinguística (Master/Trainer), certificada por Deborah Epelman, Robert Dilts e outros. Coaching Integrativo e Constelação Sistêmica Familiar e Organizacional certificada por Bern Iserd. Roselake Leiros é diretora da CrerSerMais – Desenvolvimento Humano

Nenhum comentário:

Postar um comentário